Barça e Real Madrid empatam no último clássico de Iniesta

O último clássico de Iniesta foi um jogo pegado e cheio de alternativas. Mas o Real Madrid, mesmo com um jogador a mais no segundo tempo, não quebrou a invencibilidade do Barcelona neste Campeonato Espanhol.

O fato de o campeonato estar decidido, com o Barça campeão, não tirou o ânimo das equipes, nesta partida válida pela 36ª rodada do Espanhol. Para o Real, que prioriza a final da Champions, no próximo dia 26, era importante carimbar a faixa e quebrar a invencibilidade do rival na competição.O time catalão manteve uma sequência de 41 jogos sem perder incluindo os da Liga. As duas equipes empataram por 2 x 2, diante de 97.939 torcedores presentes no Camp Nou.
E o time de Madrid mostrou-se empenhado em realizar sua missão, assumindo o controle do jogo logo após ter levado o primeiro gol, aos 9 minutos, em jogada de velocidade. Sergio Roberto cruzou e Luis Suárez finalizou com precisão, fazendo Barça 1 x 0.
Com seu estilo vertical, baseado em passes rápidos e penetrações, o Real logo empatou. Benzema cabeceou para a pequena área e Cristiano Ronaldo tocando, quase embaixo do gol, fez 1 x 1. 
Messi, muito bem marcado por Casemiro, jogou mais recuado, buscando lançamentos, alguns deles geniais, como o que colocou Jordi Alba na cara do gol. O lateral chutou para fora, aos 19.
A partir do gol de empate, o Real Madrid foi controlando o jogo, com trocas de passes que visavam acionar Cristiano Ronaldo no momento certo.
Em duas ocasiões ele recebeu livre na cara do gol e errou a finalização: aos 26, para defesa de Ter Stegen e aos 27, chutando de esquerda, para fora.
Bem colocado, o Real Madrid também anulava as ações criativas de Philippe Coutinho, colocando ora Casemiro, ora Varane para fechar o setor. E quando Varane se deslocava, Nacho Fernández vinha para o meio e passava a atuar como terceiro zagueiro.
O esquema móvel e inteligente do técnico Zidane demonstrava por que sua equipe chegou novamente à final da Champions League, a terceira consecutiva.
Outro jogador que se destacava era Marcelo, que fazia a bola deslizar, ao seu bel-prazer, pelo gramado, com passes de peio de pé, de trivela, girinhos, lançamentos de três dedos, gingas e cruzamentos que abriam espaços na defesa adversária.
Em determinado momento, obrigou o ofensivo Philippe Coutinho a voltar para marcá-lo. Pode ser considerado o melhor jogador do mundo no momento, principalmente no quesito técnica.
Aos 39, em contra-ataque eficiente, Kroos acionou Benzema dentro da área. O atacante ajeitou e chutou para fora, perdendo boa oportunidade.

A única maneira de o Barça recuperar o domínio, utilizada no fim do primeiro tempo, era trocar passes rápidos na frente da área adversária. Numa dessas tabelas, Suárez se estranhou com Sérgio Ramos, após dividida em que o espanhol usou o cotovelo.
Na jogada seguinte, Messi, tomando as dores do companheiro, derrubou Ramos após levar o drible. Logo depois, Bale entrou por trás em Umtiti. E o primeiro tempo se encerrou em um clima quente. Sergio Roberto foi expulso após dar um soco em Marcelo, aos 47.
Messi começa a desequilibrar
Com um jogador a mais, o Real Madrid posicionou-se mais à frente. Cristiano Ronaldo, contundido após o gol, foi substituído por Asensio, com vistas à final da Champions. trocando passes na intermediária adversária. Marcelo se aventurou pelo meio e desarmou Iniesta antes de finalizar por cima.
E, por incrível que pareça, o posicionamento mais à frente do Real facilitou para o Barça, que passou a explorar os contra-ataques. E com jogadores como Suárez e Messi, isso acaba sendo fatal.
Tanto que, aos 7, Suárez roubou a bola de Varane e, em disputa duvidosa, acionou Messi na área. O argentino teve a frieza de, mesmo cercado, ajeitar e finalizar com perfeição no canto: 2 x 1 Barça.
Aos 11 do segundo tempo, Iniesta foi substituído por Paulinho. Saiu reverenciado pelo público. À esta altura, a torcida passou a ser o 11º jogador do Barça.
O Real, como se tivesse um encanto quebrado, passou a errar mais passes, deixando de se movimentar como na etapa inicial. Passou a ser uma equipe mais previsível, facilitando os desarmes do Barça e, por conseguinte, os contra-ataques. Aos 24, Messi, mais solto, foi acionado por Suárez. Avançou em velocidade e Navas fez grande defesa.
Mas a alternância era a marca do jogo. Foi a vez de o Real reagir e empatar com um chute de Bale de fora da área. Neste jogo cheio de alternativas, o Real ressurgiu. Aos 30, Marcelo fez grande jogada e, após dividida com Jordi Alba, pediu pênalti.
Então Messi novamente apareceu. Sobrando em campo, ganhou disputas com Sérgio Ramos e com Varane, em dois lances seguidos e quase fez o terceiro, falhando, desta vez, nas finalizações. A rivalidade, no final, extrapolou, quando o Real Madrid não colocou a bola para fora após contusão de Suárez. Mas até o final, as duas equipes buscaram o gol. 

Ficha técnica:
Barcelona x Real Madrid
Local: Estádio Camp Nou, Barcelona
Data e horário: domingo, 6 de maio de 2018, 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Alejandro José Hernández Hernández
Gols: Suárez, aos 9, Cristiano Ronaldo, aos 14 do primeiro tempo; Messi, aos 7, Bale, aos 27 do segundo tempo
Cartões amarelos: Nacho Fernández, Sergio Ramos, Varane, Luis Suárez, Messi, Marcelo e Bale
Cartão vermelho: Sergio Roberto
Barcelona: Ter Stegen; Sergio Roberto, Piqué, Umtiti e Jordi Alba; Busquets, Rakitic, Iniesta (Paulinho), Philippe Coutinho (Semedo) e Messi; Luis Suárez (Paco Alcácer). Técnico: Ernesto Valverde.
Real Madrid: Kaylor Navas; Nacho Fernández (Lucas Vásquez); Sergio Ramos, Varane e Marcelo; Casemiro, Modric, Kroos (Kovacic) e Bale; Cristiano Ronaldo (Asensio) e Benzema. Técnico: Zinedine Zidane.

gazetaesportiva.com
Share on Google Plus

Editor patostv.com

Postado Por