• Manchetes

    Repercute enterro da garotinha Jamilly, cujo pai “se acorrentava para ajudá-la”


    Comoção e dor marcaram a despedida da criança Jamilly Nadir Coelho, de 5 anos, enterrada na tarde da última segunda-feira (25), no Cemitério Campo Santo Jesus, Maria e José, em Uiraúna.

    Durante o velório, realizado na residência da família, e o sepultamento, os familiares receberam o apoio de amigos.

    Durante o cortejo, uma faixa estampada com o rosto da garotinha junto com seu pai, levava a seguinte frase: “Jamily, aos olhos do Pai, você é uma obra-prima que ele planejou, com suas próprias mãos pintou…”.

    Emocionados, familiares e amigos prestaram as últimas homenagens à criança.

    Jamilly faleceu na tarde do último domingo (24), na cidade de Uiraúna, no Alto Sertão paraibano. A pequena sofria de uma doença rara diagnosticada de encefalopatia metabólica, decorrente de Aciduria Glutárica tipo 1 (uma doença no metabolismo que acumula ácido glutárico na urina, plasma e tecidos do corpo).

    Jamily ficou conhecida em todo o estado, quando no início do ano de 2016, seu pai, o vendedor ambulante Flávio Coelho de Assis Ferreira, 36 anos, acorrentou-se em frente ao fórum da cidade de Uiraúna para pedir agilidade em uma ação judicial que garantia os medicamentos à menina e um tipo de leite especial que custava mais de R$ 1 mil a lata.

    Ele também fez a mesma ação na porta da Nona Regional de Saúde em Cajazeiras, com sede em Cajazeiras.

    Uiraúna.Net