• Manchetes

    Decisão de André Gadelha pode abrir caminho para adesão do PSC a Lucélio e provocar mais uma baixa na campanha de Zé Maranhão

    A decisão do presidente municipal do MDB de Sousa de abandonar a pré-campanha do senador José Maranhão (MDB), ao Governo da Paraíba, para apoiar o pré-candidato do PV, com Lucélio Cartaxo, pode iniciar um efeito dominó com baixas na campanha do octagenário emedebista.

    É que nos bastidores já se aponta como certa a adesão também do PSC e do grupo Gadelha ao bloco oposicionista, em vez de optar pelo MDB.
    Informações obtidas pela reportagem do PB Agora dão conta que o bloco dos Gadelha, que tem Dalton Gadelha, Léo Gadelha, Renato Gadelha e ainda Marcondes Gadelha como agentes políticos na ativa, já estariam admitindo, nos bastidores, um apoio colegiado a uma única candidatura no pleito desse ano, e ela seria a de Lucélio.
    O próprio vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PSC), admitiu a possibilidade, ressaltando que a decisão estava entre Lucélio e Maranhão.
    Ele chegou a adiantar que quem iria bater o martelo sobre o destino era justamente Marcondes, o Gadelha.
    A adesão de André sozinho, nesse primeiro momento, teria sido uma estratégia para analisar o primeiro impacto da decisão, e abrir caminho para a chega dos demais parentes.
    Lucélio tem fortes raízes em Sousa, é tido como candidato da terra e, se confirmado, será o primeiro após Antônio Mariz também
    de Sousa a disputar eleição com chances de vitória.
    Caso o PSC bata o martelo, esse será o 9º partido a declarar apoio a pré-candidatura de Lucélio, provocando assim mais uma baixa na campanha de Zé Maranhão e uma sobrevida na campanha dos concorrentes.

    Márcia Dias
    PB Agora