Missionária patoense foi assassinada com requintes de crueldade em Santa Catarina

A Polícia Civil de Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis-SC, investiga a morte de uma mulher de 51 anos, que foi atropelada duas vezes e teve uma orelha arrancada. O suspeito do crime é um dependente químico de 25 anos, que está foragido.
De acordo com o agente Vanderlei Kanopf, que responde pela Delegacia de Alfredo Wagner, o assassinato ocorreu em 17 de junho, no domingo, no Alto Rio da Lessa, interior do município. A missionária e técnica de enfermagem Maria Aparecida Firmino, que usava o nome de Erilúcia, morreu no dia 19 de junho, no Hospital São José. Ela era natural da cidade de Patos, na Paraíba.
Segundo Kanopf, Maria Aparecida trabalhava como cuidadora do proprietário do sítio, um pastor de 54 anos com paralisia nas pernas. O pastor costumava receber pessoas para evangelização no local, principalmente dependentes químicos.
“Esse homem suspeito estava na casa. Eles tinham um quarto onde recebiam as pessoas para tratamento. O que sabemos é que os três almoçaram juntos e depois a missionária teria saído com o suspeito e tentado começar uma evangelização”, disse o Kanopf.
Segundo relato do pastor à Polícia Civil, Maria Aparecida teve a orelha arrancada pelo dependente químico com um facão. “Depois ele ainda teria perseguido a vítima e deu uma paulada na cabeça dela. Na sequência roubou o veículo do pastor e passou por duas vezes em cima dela. Ele deu duas voltas e atropelou ela quando tentava fugir”, disse Kanopf.
O pastor prestou depoimento na segunda-feira seguinte ao atropelamento, como um caso de roubo seguido de um atropelamento. Agora, conforme o agente, o suspeito deve responder por homicídio qualificado.
Conforme Kanopf, o conflito que teria desencadeado o crime ainda não foi esclarecido. O agente ainda aguarda o laudo cadavérico da vítima. A caminhonete do pastor, que é adaptada, foi encontrada e periciada no dia seguinte ao crime, 18 de junho, em São José, na Grande Florianópolis.
O suspeito é procurado pela Polícia Civil. Segundo o agente, ele tem passagens criminais em Florianópolis, Balneário Camboriú e Brusque.
Dias depois do crime o corpo de Maria Aparecida Firmino (Erilúcia) foi trasladado e sepultado na cidade de Santa Terezinha-PB. A polícia segue investigando.



folha patoense com G1 SC
Share on Google Plus

Editor GILSON FILMAGENS

Postado Por