Justiça da PB começa a julgar envolvidos na Operação Cartola


Terá início na próxima quinta-feira (16) o julgamento de parte dos envolvidos na Operação Cartola, que acusa dirigentes, árbitros e membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF), de integrarem um esquema criminoso que supostamente manipulou resultados no Campeonato Paraibano do ano passado. Entre eles, estão o ex-presidente da FPF, Amadeu Rodrigues, e o ex-vice-presidente de futebol do Botafogo-PB, Breno Morais.
O processo estará a cargo da juíza substituta Andrea Carla Mendes Nunes Galdino, da 4ª Vara Criminal de João Pessoa.
Em novembro do ano passado, dirigentes como Amadeu Rodrigues, Breno Morais e William Simões (ex-presidente do Campinense) foram banidos do futebol pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por infrações ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), ao Código de Ética da Fifa e também ao Estatuto do Torcedor. Além deles, o ex-presidente do Botafogo-PB e ex-vereador de João Pessoa, Zezinho Botafogo, foi suspenso.
Abaixo, os réus do julgamento no dia 16 
1. Amadeu Rodrigues (ex-presidente da FPF)
2. Breno Morais (vice-presidente de Futebol do Botafogo-PB)
3. Lionaldo dos Santos Silva (ex-presidente do TJDF-PB)
4. Marinaldo Roberto de Barros (ex-procurador do TJDF-PB)
5. José Renato Soares (ex-presidente da Ceaf-PB)
6. Severino José de Lemos (ex-membro da Ceaf-PB)
7. Genildo Januário da Silva (ex-vice-presidente do Sindicato de Árbitros da Paraíba)
8. Adeilson Carmo Sales de Souza (ex-árbitro do quadro local)
9. Antonio Carlos da Rocha (ex-árbitro do quadro local)
10. Antonio Umbelino (ex-árbitro do quadro local)
11. Eder Caxias (ex-árbitro da CBF)
12. Francisco Santiago (ex-árbitro do quadro local)
13. João Bosco Sátiro (ex-árbitro da CBF)
14. José Maria de Lucena Netto (ex-árbitro assistente da CBF)
15. Tarcisio José de Souza (ex-árbitro assistente do quadro local)
16. Josiel Ferreira da Silva (ex-árbitro assistente do quadro local)
17. José Araújo da Penha (funcionário da FPF)
Operação Cartola 
Deflagrada no início do ano passado e no decorrer de oito meses de investigação, aproximadamente 105 mil ligações telefônicas de pessoas suspeitas foram gravadas, com autorização judicial. Segundo a Polícia Civil, 80 pessoas foram investigadas no esquema. A operação teve como objetivo apurar crimes cometidos por uma organização composta por membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba (CEAF), Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD/PB) e dirigentes de clubes de futebol profissional da Paraíba e árbitros.
MaisPB
Share on Google Plus

Editor patostv.com

Postado Por